Aprendiendo a usar los blogs

desarrollando contenidos para nuestro entorno

Cosas de espias….que tendrá en el subsuelo…

Posted by buson en octubre 4, 2004

Tomado de:
http://www.agorams.com.br/index.php?ver=ler&id=42745

POLICIAL – MS
Mato Grosso do Sul, Terça-Feira, 14 de Setembro de 2004 – 11:02

PM é preso com material de espionagem

A Corregedoria de Polícia de Mato Grosso do Sul apreendeu na última sexta-feira, uma grande variedade de equipamentos para espionagem e mais de 74 munições para diversos calibres de armas na casa do policial militar da Ciptran (Companhia Independente de Trânsito), Nelson Barbosa de Oliveira. Ele foi preso em Ponta Porã no mesmo dia, acusado de envolvimento no assassinato do professor e geólogo, Nicolau Ladislau Ervin Haralyi (62), em 20 de julho deste ano, em São Paulo.

Outros três suspeitos do assassinato também são sulmatogrossenses. Dois deles, Eduardo Minare Higa (40), e Ezaquiel Leite Furtado(54), são policiais civis, e Alberto Aparecido Roberto Nogueira (42), o “Betão” – ainda em liberdade –, trabalha na Secretaria Estadual de Receita e Controle.

Na residência do cabo da PM, foram encontrados vários equipamentos de escutas e gravações telefônicas; quase 10 metros de cabos e fios telefônicos, além de plugues e fios improvisados no estilo “espionagem”; dois microfones artesanais – um deles em uma tampa de caneta – e um ponto eletrônico.

Foram encontrados, ainda, nos pertences de Nelson, cerca de 74 munições intactas para armas calibres 45, 22, 32, 38 e 357; um mapa do Estado de São Paulo; fotografias; duas folhas de cheque do Banco Santander, de R$ 2 mil cada, de uma conta corrente de Barueri (SP); seis CNHs em nove de terceiros; onze certificados de registro e licenciamento de veículos e dois documentos de identidade.

Na casa de Eduardo Ninare Higa, os agentes da Corregedoria apreenderam, no mesmo dia, dois carregadores para pistola da marca Glock e uma nota fiscal no valor de R$ 75, da empresa Japan Society, de São Paulo, datada de 5 de agosto.

No ofício que determinava a busca e apreensão das eventuais provas do crime, a Justiça de São Paulo determinou que as operações fossem acompanhadas por delegados de polícia e autorizou o uso da força em caso de resistência.

AgoraMS (Léo Nogueihra)

Anuncios

Responder

Por favor, inicia sesión con uno de estos métodos para publicar tu comentario:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s